sexta-feira, 11 de março de 2016

Um elogio às belezas de Melgaço de há meio século

Ao lado do Hotel Ranhada, no Peso (Melgaço) em meados século passado

Viajamos até Melgaço no ano de 1964. Nesta altura, quase ninguém tem televisão e só uns quantos têm um rádio em casa.  
Nestes tempos do Estado Novo, a estação de rádio oficial do regime salazarista era a Emissora Nacional. Entre os seus programas, havia um chamado “A Voz de Portugal” que era emitido em onda curta para o estrangeiro. A emissão do dia 17 de Setembro de 1964, dá um grande destaque ao concelho de Melgaço. Dá um autêntico elogio ao nosso concelho, às suas deslumbrantes belezas. Compara Melgaço a um grande jardim floriso. Leia o conteudo do guião:
“A natureza favoreceu generosamente a terra nortenha de Portugal, não só com as suas belezas, mas também com um tesouro ciosamente escondido e de precioso valor: o das suas fontes medicinais.
Melgaço, Vidago, Pedras Salgadas constituem, individual ou coletivamente, um centro polarizador de vida, um prodígioso manancial de saúde e um regalo para os espíritos sedentos de repouso.
Melgaço, ponto estrememnho de Portugal, possui a graça de mirar, como sentinela enamorada, as boas terras do Minho, seu domínio senhorial, e o soberbo tapete da Galiza que lhe fica defronte.
Um honesto e grave escritoe do tempo clássico, o respeitável Manuel de Faria e Sousa, fiél amador do rincão minhoto, dele disse deleitadamente estas saborosas palavras: “Se no Mundo houve Campos Elíseos, existiram nesta província, se o s não houve, merecia que os houvesse nela, se é que este título se deve dar a sítio ameno e delicioso”.
Mas o Homem fez de Melgaço uma estância mais atraente ainda pelos progressos que ali introduziu, sem esquecer os umbrosos e amenos parques e alamedas.
Varanda heróica, Melgaço é também jardim florido. Até entre penedos rebentam roseiras. E os horizontes são dos mais amplos que os nossos olhos podem contemplar.”



Fonte: Guião do programa “A Voz de Portugal” de 17 de Setembro de 1964. In: www.rtp.pt

Veja o guião do programa aqui:




2 comentários:

  1. Gostei muito da sua reportagem sobre as "Águas do Peso".
    Meu nome é Jose Dias de Figueiredo. Passei os primeiros doze anos da minha vida vivendo lá enquanto meu pai, Gaspar D'Oliveira de Figueiredo, era diretor das Aguas de Melgaco. Para mim era como viver em um paraíso. Nossa família gostava muito de viver em um lugar tão lindo.
    Eu sempre estou ansioso para ler e ver as fotos que você postar, que trazem tão boas lembranças.
      
    Atenciosamente,
    Joe de Figueiredo

    ResponderEliminar
  2. Olá Joe. Muito obrigado pelas suas simpáticas palavras. O Peso é um local muito especial cheio de magia que nos contagia o espírito com boas sensações... Abraço para si, Joe. Valter Alves.

    ResponderEliminar