sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

Cristoval (Melgaço, 1933) - Notícia da descoberta de águas milagrosas

Cevide (Cristóval - Melgaço)
Foto de Filipe Oliveira

O concelho de Melgaço é conhecido desde há mais de um século pelas suas águas termas que brotam nas nascentes no Peso que atraíram, durante os seus anos de ouro, inúmeros aquistas. Contudo, noutros pontos do concelho existem várias nascentes de onde brotam águas que se diz terem caraterísticas medicinais. Já publiquei sobre as antigas Caldas de Paderne e Fiães, a Fonte Santa, em Penso, e a nascente da Pesqueira Longa, em Paços. Haverá ainda outras de que já algumas pessoas me falaram que dizem ter propriedades específicas.
Hoje recupero uma notícia de um jornal melgacense publicada há mais de 80 anos que nos fala na descoberta de uma nascente da qual nascia uma água que se pensaria ter propriedades medicinais. Podemos ler no “Notícias de Melgaço”, na sua edição de 17 de Dezembro de 1933 “O nosso estimado conterrâneo e importante capitalista, senhor Adriano dos Santos Sobrinho, residente, há bastantes anos, em Lisboa, registou provisoriamente uma nascente de águas minerais que descobriu nas suas propriedades dos Caneiros, Cevide, na freguesia de Cristóval, deste concelho. Estiveram há dias no local da nascente dois engenheiros e o subdelegado de saúde, senhor Dr. Cândido da Rocha e Sá, com o fim de procederem a estudos. Desejamos que a análise dessas  águas acuse propriedades medicinais que as tornem úteis para combater algumas doenças de que sofre a humanidade, e sejam um motivo de prosperidades para o nosso concelho e para o senhor Santos Sobrinho ver compensados os seus trabalhos e despesas.”

A nascente aparece identificada no Novo Aquilégio onde é designada como nascente do “Pinheiral da Rocha” e caraterizada como “digestiva e muito leve (ausência de cálcio)”. Mais se diz que “é semelhante à água do Peso em Melgaço, tem o mesmo sabor, já foi engarrafada” em tempos (segundo um informante).

Fonte: Jornal "Notícias de Melgaço", edição de 17 de Dezembro de 1933.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Artigos relacionados